25 de junho de 2019

Crônica do Pássaro de Corda - Haruki Murakami




Um mundo oculto 

Haruki Murakami é um escritor japonês que mora dos Estados Unidos. Fortemente influenciado pela cultura ocidental,  tem um modo todo peculiar para escrever. Neste romance intitulado como Crônica do Pássaro de Corda ele deixa aflorar toda a sua capacidade imaginativa, criando um mundo (ou mundos) fantástico e intrigante.

A história começa com o desaparecimento do gato Noburu Wataya de Okada e Kumiko, um típico jovem casal japonês. Okada acabou de deixar o emprego de auxiliar num escritório de advocacia e ainda não encontrou uma nova profissão, ficando a sua cargo os afazeres domésticos. Kumiko é quem trabalha fora, numa revista. É dela a ideia de pedir ao marido que encontre o gato sumido, utilizando os serviços de uma detetive espiritual chamada Malta Kano. Como avançar da história, descobre-se que o sumiço do gato tem a ver com um problema mais complexo; que envolve outras pessoas e mundos. A esposa de Okada confessa traí-lo e deixa a residência, desaparecendo completamente. A vida de ambos corre perigo se Okada tentar reencontrar a esposa. É exatamente isso que o Pássaro de Cordas fará.

O livro de quase oitocentas páginas é um emaranhado de histórias sóbrias e pontuadas no tempo misturadas ao fantástico, sobrenatural. Não é clara a relação dos fatos, deixando ao leitor a tarefa de fazer relações. O conceito de "mundo dos espíritos" é fortemente explorado na obra. Um local sem tempo ou espaço acessível apenas pelos desenvolvidos espiritualmente. Coisas acontecidas neste além influenciam o mundo como conhecemos. O autor é criativo ao "dar vida" às personagens. Cada uma tem suas características peculiares; Creta Kano, por exemplo, é uma prostituta espiritual. Pessoas comuns e fantásticas perpassam pelos dias de Okada e o ajudam a descobrir o que verdadeiramente ocorreu com sua esposa e como ele poderá salvá-la. 

Bem, o próprio personagem principal tem seus problemas. Ele não tem renda, não tem perspectiva de vida e encontra-se no fundo do poço. Passa um tempo de verdade no fundo de um poço e é isto que o faz "ser iluminado" pela verdade. Ou parte dela; uma chama que o faz buscar tudo. É que Okada tem certa sensibilidade... No final, ficamos com a impressão de ter lido uma história longa, bem contada e não tão bem amarrada. O ponto positivo é que o desfecho não é o esperado, fugindo do clichê das histórias do gênero; aqueles em que o cavaleiro salva a donzela. 

Em suma, uma história não linear, fragmentada e longa, cujo final é original. Espaço, tempo e realidade são aspectos constantes em Crônicas do Pássaro de Corda, numa abrangência original e cativante. Fica a dica e a breve resenha, dado o tamanho da obra. 

Abraço.
Paul Law  

10 de junho de 2019

Fezesman - A cara do pai

clique na tirinha para aumentá-la

3 de junho de 2019

Espaço Pequeno



Que possamos fazer por merecer antes de pedir. O merecimento está nos olhos dos outros e quando ele estiver nos nosso, que não seja em relação a atos próprios. Reclamar também não é prudente; que o tempo gasto com o inconformismo seja dispendido com adaptação. Por último e mais importante, que o espaço que ocupamos no mundo seja pequeno, mas de ausência sentida. 


Paul Law, Mogi Guaçu, 03 de junho de 2019